27 de março de 2013

A ditadura gay existe?



Nos últimos tempos tenho ouvido uma expressão várias vezes: "ditadura gay". Essa expressão tem sido muito difundida por segmentos religiosos e decorre do acirrado debate sobre alguns direitos de pessoas LGBT (gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros). As principais polêmicas são: o casamento civil homossexual, a adoção de crianças por casais gays e a criminalização da homofobia (discriminação contra homossexuais).

Ao ouvir essa expressão "ditadura gay", chego a esquecer que vivemos no Brasil, onde casais formados por pessoas do mesmo sexo não podem nem se beijar em locais públicos sem passar pelo reprovação, manifestação ou até agressão, de quem estiver por perto. E que os LGBT ainda lutam, em pleno século 21, pela igualdade de direitos com os heterossexuais. Se é que vivemos uma ditadura com certeza não é gay, é hetero!

Será que tenho como provar isso? Claro que sim! Me diga quantos pessoas morrem no Brasil por ser heterossexual? Que alguém diga: "Vou matar aquele(a) pessoa porque ela é hetero". Mas, isso acontece com os LGBT no Brasil, não só mortes, agressões físicas e verbais são constantes. Todos sabemos o que os gays sofrem nas próprias escolas públicas e privadas, agressões constantes de todas as ordens (verbal e física), o que atualmente está incluído no chamado bullying. Para não cansar muito os leitores que aqui chegarem vou deixar um link só com uma pesquisa realizada sobre agressões a homossexuais, que são motivadas no simples motivo de serem o que são, gays.


Como sou uma pessoa que gosto de ver os dois lados, eu entendo perfeitamente (mesmo não concordando) que muitos cristãos se rebelem ao não poder pregar o que seu Livro Sagrado (a Bíblia) diz, pois, é dela que vem a base para as posições que assumem a esse respeito. Mas, isso não faz com que o tema seja indiscutível, eu só quero que vocês se lembrem que essa mesma Bíblia tem referências a escravidão e ao machismo, e muitos religiosos basearam-se nela para apoiar a escravidão no Brasil e o preconceito a mulheres (machismo), quero dizer com isso que está mais do que provado que a Bíblia não detém a verdade absoluta sobre nada (poderia passar o dia todo falando sobre erros bíblicos), então vocês pensem que um palavra escrita num livro não pode nortear a Legislação de um "Estado Laico" como o Brasil.

Eu acho é que as Igrejas primeiro tem que fazer com que seus fiéis cumpram suas indicações, para só depois tentarem convencer os não-fiéis, mas, nunca tentar impor sua visão de mundo.

Os religiosos cristãos dizem que as pessoas escolhem ser homossexuais (o que para a ciência não é verdade), então deixe que sejam, e deixe que tenham os mesmos direitos que vocês, ou isso é demais? Só pode ter direito se for do jeito que querem? Cuidem em salvar suas ovelhas e deixem os que "pecadores" "pecarem" desde que não agridam vocês, não podem reclamar de nada. Aprendam a viver com a diversidade, as pessoas não podem ser da forma que vocês querem. Por exemplo, eu não concordo com a opinião de direitistas e nem por isso faço campanha para que tenham menos direitos que Eu, cada ser humano é diferente do outro.

Pelo exposto sou totalmente favorável ao casamento civil homossexual, sou favorável também a adoção de crianças por casais gays, para não faltar com a verdade, o pouco que estudei Psicologia aprendi que a personalidade de uma pessoa é formada pro fatores genéticos e ambientais, em uma mistura desses dois fatores onde não se pode afirmar qual contribui mais, e ante isso há um pouco de receio na adoção de crianças por casais gays, mas, também me declaro favorável. Pois, se casais heteros criassem filhos heteros e casais gays criassem filhos gays, não existiriam gays no mundo. Com certeza esse não é fator que faz alguém ser gay, com certeza. Várias pesquisas já mostram que há um componente biológico forte na homossexualidade. E quanto a criminalização da homofobia também concordo, pois, só querem igualar o crime de homofobia ao de racismo, o problema é que os pastores, principalmente, querem ter a liberdade para "demonizar" a homossexualidade sem ter consequência nenhuma, pois, é a fé deles né? Então, a isenção de responsabilidade dentro dos cultos já resolve o problema, desde que o culto não seja transmitido por Tv, rádio, etc, pois, enquanto tivermos pessoas pregando em meios de comunicação a inferioridade de outras, sempre teremos preconceito.


Sabe porque os gays estão sendo muito atacados ultimamente? Porque ao invés de se trancarem em casa com medo de um mundo que não os aceita, estão fazendo com que os aceite, cobrando e reivindicando seus direito. Foi daí que deve ter surgido o termo "sair do armário", antigamente era uma grande vergonha ser homossexual, e dificilmente se assumia, quantos pais de família vemos ai tendo relacionamentos homossexuais paralelos ao casamento? Eles casavam para manter as aparências, aí mantinham relacionamentos paralelos. É isso que os religiosos fascistas querem que aconteça, que os gays tenham vergonha e se escondam como antes. Pois digo, acostumem-se, nunca voltará a ser como antes. Inclusive em um dos links que deixei acima descobri que os gays na década de 50 eram tratados que terapia de choque, devido às suas diferenças.

Encerro desse jeito, pregando a igualdade entre heterossexuais e homossexuais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário