17 de outubro de 2012

Feliz dia do professor?


Hoje farei uma reflexão sobre a situação dos professores no Brasil, uma das categorias mais importantes de um país, e uma das mais valorizadas em qualquer país minimamente sério. Mas, porque no Brasil não é assim?


Imagem de: Humor Político

A educação no Brasil é uma verdadeira vergonha, até que nos últimos tempos melhorado um pouco, mas, é muito aquém do que deveríamos melhorar. Os indicadores educacionais do Brasil não são bons, mas, o governo continua enganando o povo com uma propaganda irrealista da nossa educação. Mas, nesse artigo o foco será o professor!

Para o professor a realidade da educação brasileira se torna ainda mais perversa, sala de aulas superlotadas, baixos salários, falta de apoio multiprofissional, indicação política dos gestores (o que leva pessoas despreparadas para gerenciar a educação), falta de estrutura das escolas, falta de apoio da sociedade, e ainda falta de estabilidade no cargo, pois, em muitas lugares os concursos públicos não são feitos. Pouca coisa não é?

Aí sobra tudo para quem? Para o professor claro! Quando chega à sala de aula toma um choque de realidade, os alunos estão acostumados na sociedade a interagir com tudo e escolher o que desejam fazer, menos na escola, e ainda com recursos arcaicos, quadro e livros. A educação do século 21 tem que ser mais dinâmica, ainda com as ferramentas tradicionais (quadro e livros), mais acrescidas de ferramentas dinâmicas como: computadores, projetores, etc.

Além disso, uma tecla em que todos batem, o salário do professor brasileiro em um dos piores do mundo, quer uma prova? O salário do professor de nível fundamental (5° ao 9° ano) é o 3° pior do mundo, segundo pesquisa da Unesco divulgada no início do ano. Não que magicamente, como alguns pensam, aumentando o salário, melhorará a educação, mas, ao darmos um salário digno à importância da função poderemos mudar a lei que permite o acúmulo de funções dos profissionais da educação, coisa que hoje é necessária devido aos baixos salários. Além disso, na maioria das vezes, os jovens mais promissores não querem ser educadores, devido aos salários, esse é outro segredo, como os professores formam os outros profissionais temos que ter “os melhores” lecionando. Tabela com salários anuais de alguns países:

1.         Luxemburgo: US$ 101 mil              2.            Suíça: US$ 65 mil
3.         Alemanha: US$ 60 mil                    4.            Holanda: US$ 55 mil
5.         Espanha: US$ 49 mil                      6. Irlanda: US$ 49 mil
7.         Coreia do Sul: US$ 48 mil                8.           Canadá: US$ 48 mil
9.         Dinamarca: US$ 47 mil                    10.        Áustria: US$ 46 mil

Brasil: US$ 16,3 mil* (brincadeira não é?) Esse é o país que diz que seu Ideb vai chegar ao nível dos países desenvolvidos em alguns anos.


As escolas devem ser transformadas em espaços de transformação social, nela podemos identificar crianças em situação de risco social, e trabalhar em diversas áreas promovendo saúde física, auxílio psicológico, auxílio social. Esse é o trabalho multidisciplinar que deve ter a escola como centro de apoio, dessa forma poderia tirar do caminho da criminalidade muitos jovens.

A falta de comunicação entre a escola e os pais, é um dos maiores problemas da educação, costumo dizer que parecem dois mundos de galáxias diferentes, onde, a escola não sabe como a criança é em sua casa e seus pais não sabem como seus filhos se comportam na escola. Isso acaba facilitando problemas de comportamento na escola, e a culpa é de ambos, a escola é uma instituição totalmente fechada, nem os alunos e muito menos seus pais participam da tomada de decisões que lhes dizem respeito. E pais só se importam com as notas do filho.

Outras situações preocupantes: não termos exigências técnicas para que um profissional preparado assuma as direções das escolas, a quantidade de professores sem estabilidade no cargo (em todo o Brasil), que dependem de uma indicação política para continuar no cargo também é muito preocupante, pois, impede a categoria de cobrar melhorias daqueles a quem devem o emprego. Esses são alguns dos problemas da nossa educação.

Expresso um desejo, sem esperança que seja realizado, que a sociedade ao invés de dizer que a culpa é toda dos políticos se movimente, exija mudanças, pois se os políticos são tão ruins como no Brasil dizemos, então porque deixamos que eles administrem nosso dinheiro sem lhes fiscalizar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário