27 de outubro de 2012

Falhas na infraestrutura geram fugas em presídio na Paraíba, diz diretor


"Fuga aconteceu por causa da negligência da empresa que executa obra no presídio", disse Marcelo Belota, diretor do Presídio Vicente Claudino de Pontes, na cidade de Guarabira, no agreste paraibano, sobre a fuga de cinco detentos na noite da sexta-feira (26)

Marcelo Belota apontou falhas na infraestrutura do presídio. “Aqui os muros são baixos e não possuem guaritas, o que dificulta a visualização por parte dos policiais e deve ter facilitado a fuga dos presidiários”.

Segundo ele, os detentos cavaram um buraco na parede da cela, saíram, escalaram o muro e conseguiram fugir por volta das 21h. Eles utilizaram espetos para fazer um buraco na parede. “Uma parte do presídio está em reforma e os presos que cumprem regime semiaberto conseguiram ter acesso a esse local, onde conseguiram espetos e passaram para detentos do regime fechado”, afirmou.
O diretor informou que a possível causa da fuga foi a mudança na direção do presídio. “Eu estou no cargo há 80 dias, antes eles não tinham regras, tudo aqui era permitido. Depois que eu assumi, a regulamentação precisou ser seguida e isso causou insatisfação nos presos”.

Na manhã deste sábado (27) o gerente de administração penitenciária e o juiz da execução penal, Bruno Isidro, irão até o presídio. De acordo com o diretor eles vão viabilizar a transferência de presos para outras unidades. “Pelo menos enquanto está sendo realizada a reforma é necessário que seja feita transferências, quando a infraestrutura estiver adequada os detentos voltam”, explicou.

As polícias Civil e Militar estão fazendo buscas em toda a região. Mas até as 9h30 deste sábado nenhum detento foi recapturado.

Rebelião

Na segunda-feira (22) uma rebelião aconteceu no mesmo presídio em Guarabira, os detentos queimaram colchões e danificaram celas da unidade. O Corpo de Bombeiros e o Batalhão de Choque da Polícia Militar estiveram no presídio.

A rebelião teve início pela manhã e conforme  informações da Polícia Militar, os presos estariam reivindicando direito ao banho de sol, que estaria suspenso devido à uma reforma na unidade, e também melhoria na alimentação que é servida. Para controlar o motim, o Batalhão de Choque entrou no local e tirou os detentos das celas para que os Bombeiros controlassem os focos de incêndio.

Fonte: G1 Paraíba


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário