21 de outubro de 2012

A arbitragem brasileira

A arbitragem sempre gerou polêmica, seja no futebol brasileiro ou mundial. Afinal quantas vezes já ouvimos a expressão "juiz ladrão"? Esta cultura de sempre considerarmos que o árbitro está  mal intencionado ou não; nos leva a questionar se o aquela expulsão equivocada, aquele penalty  duvidoso, aquele gol mal anulado que foi  apitado contra o meu time realmente foi erro,  Ou o "juiz roubou"?

Não é de hoje que temos polêmicas sobre a arbitragem, todos  lembramos de um sistema de manipulação de resultados, que  ficou conhecido por máfia do apito, o mesmo resultou na anulação de onze jogos do campeonato brasileiro de 2005. Devido ao número e polêmicas que tivemos recentemente, discutir sobre a arbitragem tem se tornado rotina nos debates  futebolísticos; as   reclamações  e  acusações estão ocorrendo com frequência,  por exemplo, as reclamações feitas por dirigentes do Grêmio sobre suposto favorecimento nos resultados  do  atual líder do campeonato brasileiro; hoje mesmo aconteceram protestos  na partida  entre Fluminense e Atlético Mineiro; os torcedores do atlético abriram uma faixa com a frase "O apito é do tricolor carioca e formaram um mosaico com a sigla  CBF ao contrário e o fundo com as cores do fluminense.

Segundo um levantamento feito pelo site globoesporte.com, 42 jogos desta edição do campeonato brasileiro tiveram marcações erradas em lances decisivos. Estas  recorrências de erros preocupam a CBF, que recentemente decidiu afastar os árbitros Flávio Guerra e Nielson Nogueira Dias, além do auxiliar Bruno Boschilia para um período de reciclagem; além da entidade superior do futebol brasileiro estar oferecendo cursos de formação de instrutores, visando melhorar  o quadro de arbitragem nas federações estaduais.

Só o que podemos fazer, é esperar que esse processo de reciclagem tem uma ação profícua, para que as nossas atenções estejam voltadas para o bom futebol, não para o erros cometidos pela arbitragem.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário