28 de setembro de 2012

Após decisão do TST, funcionários dos Correios na PB encerram greve


Após a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de que os grevistas dos Correios devem votlar ao trabalho, os funcionários da empresa na Paraíba decidiram, em assembleia nesta quinta-feira (27), encerrar a paralisação que durou nove dias no estado. Os trabalhos voltam nesta sexta-feira (28). Caso não cumprisse a decisão, o sindicato teria que pagar uma multa diária de R$ 20 mil.

Mesmo voltando ao trabalho, o secretário de Imprensa do Sindicato dos Correios (Sintect-PB), Tony Sério, explicou que a categoria não está satisfeita com o reajuste salarial de 6,5%. Segundo ele, a decisão do TST foi equivocada e apenas beneficiou a empresa. Tony ainda informou que a categoria deve fazer um balanço nacional para tentar retomar as negociações.

Por unanimidade, o tribunal determinou reajuste salarial de 6,5% aos empregados da estatal, retroativo a 1º de agosto. O índice supera os 5,2% oferecidos pelos Correios, que cobriria apenas a inflação dos últimos 12 meses.

A demanda inicial da categoria era por reajuste de 43,7%, índice que, segundo o sindicato, compensaria perdas com a inflação dos últimos anos. Além disso, os trabalhadores pediam aumento linear de R$ 200, entre outras exigências.

O índice de 6,5% também será aplicado para reajustar benefícios recebidos pelos funcionários, como vale-refeição, vale-alimentação e auxílio pago no caso de dependentes que necessitem de cuidados especiais.

Reposição

O tribunal determinou ainda que os dias parados sejam compensados pelos trabalhadores nos próximos seis meses, sem o desconto nos salários.

O secretário-geral da Fentect, federação sindical que representa os trabalhadores dos Correios, Edson Dorta, disse que o reajuste determinado pelo TST é “muito baixo” e não compensa as perdas que a categoria teve com a inflação.

Ele informou que os trabalhadores serão consultados sobre a determinação do TST de voltar ao trabalho em assembléias que devem ocorrer até esta sexta.

O não cumprimento da decisão pode levar cada sindicato da categoria a uma multa diária de R$ 20 mil.

O vice-presidente Jurídico dos Correios, Jefferson Carús Guedes, informou que a empresa vai “se esforçar” para cumprir a ordem de reajuste de 6,5%. O impacto da aplicação do índice será de R$ 602 milhões ao ano.

Segundo os Correios, foram entregues 89,8% de um total de 191 milhões de cartas que chegaram às agências desde o início da greve. Será necessário um dia de trabalho para normalizar as entregas.

Fonte: G1 Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário