28 de agosto de 2012

Plantas Medicinais: Hortelã


Saudações leitores do blog Conexão Social, hoje começarei mais uma série temática de postagens na coluna de Saúde e Meio Ambiente, Plantas Medicinais, tema de relevante importância que traz a tona tradições populares, mas com embasamento científico. Espero que gostem das postagens e que estas acrescente novas informações aos seus conhecimentos.

Hoje além de fazer uma introdução sobre o tema, falarei sobre a Hortelã.

Ronielson Lima



A palavra fitoterapia é formada de dois radicais gregos: fito vem de phyton, que significa planta, e terapia vem de therapia, que significa tratamento. Ou seja, tratamento utilizando plantas medicinais.

A palavra fitoterapia foi criada para designar tradições populares de tratamento, nas quais as plantas medicinais são usadas como medicamento. O uso terapêutico de plantas medicinais ficou restrito à abordagem leiga desde o salto tecnológico da indústria farmacêutica ocorrido nas décadas de 50 e 60.

Recentemente, as plantas medicinais consideradas medicamentos de segunda categoria, voltaram à voga com a comprovação de ações farmacológicas relevantes e de uma excelente relação de custo-benefício.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 80% da população mundial faz uso de algum tipo de planta na busca de alívio de alguma sintomatologia dolorosa ou desagradável. Desse total, pelo menos 30% deu-se por indicação médica.

A utilização de plantas medicinais, prática tradicional ainda existente entre os povos de todo o mundo, tem recebido incentivos da própria OMS. São muitos os fatores que vêm colaborando para o desenvolvimento de práticas de saúde que incluam plantas medicinais, principalmente econômicos e sociais.

No Brasil, a utilização de plantas no tratamento de doenças apresenta influências da cultura indígena, africana e, naturalmente europeia. Estas influências deixaram marcas profundas nas diferentes áreas de nossa cultura, seja sob o aspecto material ou espiritual. Elas constituem a base da medicina popular que, há algum tempo, vem sendo retomada pela medicina natural. Procurando resgatar suas práticas, dando-lhes caráter científico e integrando-as num conjunto de princípios que visam não apenas curar algumas doenças, mas restituir ao ser humano a vida natural.


Hortelã


Reino: Plantae

Divisão:  Magnoliophyta

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Lamiales

Família:  Lamiaceae

Gênero: Mentha

Espécie: M. spicata                                             

Nome binominal: Mentha spicata


"A hortelã estimula o aparelho digestivo e tem também propriedades anestésicas", afirma Dan Linetzky Waitzberg, médico nutrólogo do Hospital Santa Catarina. Segundo ele, para obter uma infusão com efeito antiespasmódico, basta ferver 3 g de hortelã em 100 ml de água por não mais de cinco minutos. "O chá combate dores de barriga e prisão de ventre."

A hortelã também pode servir para emplastros anestesiantes por conta do mentol, substância presente na erva que dá a sensação de refrescância. Folhas amassadas da erva podem ser colocadas em cima de picadas de inseto.

Além disso, a hortelã é rica em vitaminas C e A, cálcio e ferro. A vitamina C é um antioxidante poderoso e ajuda a sintetizar o colágeno. A vitamina A faz bem para a pele, os cabelos e os ossos. O cálcio atua na formação de ossos e dentes, e o ferro faz bem para o sangue. Mas esta erva não supri as necessidades nutricionais de um indivíduo. A erva pode ser usada apenas como complemento nutricional, pois uma quantidade muito pequena dela é usada no preparo dos alimentos.

A melhor forma de consumo é utilizar as folhas frescas. A hortelã desidratada perde muito de suas propriedades. A água aumenta o processo de deterioração da erva então conserve-a na geladeira em um saco plástico fechado. Quando as folhas ficam amareladas, já não estão boas para o consumo.

Importante

A hortelã não é indicada para crianças. A erva costuma irritar a mucosa e pode causar até falta de ar.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u412711.shtml



Acesse as outras postagens da série:

1- Plantas Medicinais: Hortelã



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário