25 de junho de 2012

Tecnologia: Qual a diferença entre Hardware (Parte Física do Computador) e Software

Informática para concurso
A informática é realmente um emaranhado de jargões: ora surgem termos em inglês, ora despontam siglas quase que indecifráveis. Mais dia, menos dia, as dúvidas vão crescendo de forma descompassada entre os usuários de computador. E, para iniciantes – e não somente eles – uma das questões que mais insiste em testar seus conhecimentos resume-se pura e simplesmente na seguinte frase: Afinal, qual a diferença entre hardware e software? Além de desmistificar um pouco os termos propostos, esse artigo visa apresentar de forma concisa exemplos simples e diretos, através de analogias ao cotidiano de cada pessoa. Vamos lá?

Hardware

Consiste na parte física de um computador. É aquilo que podemos tocar, sentir com as próprias mãos. Basicamente, é a porção “real” de um equipamento, a qual é composta por peças, periféricos, além de quaisquer outros dispositivos físicos. O gabinete (popularmente conhecido como CPU) é um hardware, assim como um teclado, mouse, monitor, caixas de som, impressora…

“Hard” é traduzido como sendo “sólido”, “rígido”. Fácil de assimilar, não?

Lembre agora da televisão. Não a emissora, nem a programação, mas sim o equipamento em si. Ela possui uma tela, botões, antena, controle remoto, etc. Tudo isso que você está imaginando é o seu “hardware televisivo”!

 

Assim o computador pode ser divido de forma didática, como apresentamos a seguir:



Gabinete: É a parte mais importante do computador, podemos dizer que o gabinete é o computador propriamente dito. Dentro dele, há vários componentes que fazem o processamento da informação. Mas atenção, NÃO CHAME DO GABINETE DE CPU, pois são coisas diferentes (algumas pessoas, inclusive técnicos costumam chamar o gabinete de CPU porque esta - a CPU - está dentro do gabinete).

Monitor: É a tela que nos mostra as respostas que o computador nos dá. É um periférico de saída (pois a informação sai do computador para o usuário).

Teclado: conjunto de teclas que permite que operemos o computador através de comandos digitados. É um periférico de entrada.

Mouse: Através dele, controlamos uma setinha que aponta para os itens na nossa tela. Também é um periférico de entrada.

SIM, MAS, E DENTRO DO GABINETE?

Dentro do gabinete são encontrados os componentes que formam o computador propriamente dito, como as memórias, o processador e o disco rígido, todos eles estão direta ou indiretamente ligados à placa mãe.

Placa Mãe: É uma grande placa de circuitos onde são encaixados os outros componentes, a Placa mãe recebe o processador, as memórias, os conectores de teclado, mouse e impressora, e muito mais (veja figura abaixo).

Microprocessador: É o chip mais importante do computador, cabendo a ele o processamento de todas as informações que passam pelo computador. Ele reconhece quando alguma tecla foi pressionada, quando o mouse foi movido, quando um som está sendo executado e tudo mais... Devido a sua importância, consideramos o processador como o "cérebro do computador" e vamos estudá-lo com mais detalhamento.

Memória RAM
Memória RAM: É um conjunto de chips que acumulam as informações enquanto estão sendo processadas, é mais ou menos assim: O QUE ESTIVER SENDO APRESENTADO NO MONITOR ESTÁ ARMAZENADO, NESTE MOMENTO, NA RAM. Toda e qualquer informação que estiver sendo processada, todo e qualquer programa que esteja sendo executado está na memória RAM. A memória RAM é vendida na forma de pequenas placas chamadas "pentes".

RAM significa Memória de Acesso Aleatório, ou seja, o computador altera seu conteúdo constantemente, sem permissão da mesma, o que é realmente necessário. Como a memória RAM é alimentada eletricamente, seu conteúdo é esvaziado quando desligamos o computador. Sem chance de recuperação, ou seja, é um conteúdo volátil.

Memória cache : É uma memória que está entre o processador e a RAM, para fazer com que o acesso à RAM seja mais veloz. A Memória Cache normalmente é formada por circuitosdentro do processador, para que sua velocidade seja ainda maior. Uma vez acessada uma informação, ela não precisará ser acessada mais uma vez na RAM, o computador vai buscá-la na Cache, pois já estará lá.

Disco Rígido ou HD
Disco Rígido: também conhecido como winchester ou HD, é um dispositivo de armazenamento magnético na forma de discos sobrepostos. É no Disco Rígido que as informações são gravadas de forma permanente, para que possamos acessá-las posteriormente. As informações gravadas nos discos rígidos (ou nos disquetes) são chamadas arquivos.

Barramento: também conhecido como BUS é o nome dado ao conjunto de vias que fazem a informação viajar dentro do computador. O BUS liga o processador aos periféricos e às placas externas que se encaixam na placa mãe.

Slots: São "fendas" na placa mãe que permitem o encaixe de outras placas, como as de vídeo, som, rede,etc. Veremos, a seguir, mais detalhadamente os Slots, os barramentos e suas características.

Podemos observar na figura seguinte, o formato dos discos rígidos e da memória RAM, assim como, um pequeno exemplo de microprocessador, e um esquema do funcionamento deles:

Explicando o diagrama acima: A informação é inserida no computador através de um dispositivo de entrada, que pode ser um teclado, um mouse, um scanner ou uma câmera, entre outros. Esta informação segue direto para o processador, que reconhece a informação e a guarda na memória RAM, para só então depois disso, jogá-la no monitor (se este for o caso). Caso o usuário deseje gravar a informação permanentemente, ela será jogada numa unidade de disco à escolha do mesmo (como mostrado na figura com o HD). Este diagrama serve para qualquer tipo de informação, até mesmo as teclas que você pressiona enquanto digita uma carta no computador, ou o momento em que grava sua voz pelo microfone.

Software

É a parte lógica na informática. Consiste em algo abstrato: você pode ver, utilizar, mas não consegue tocar, muito menos sentir. Nesse segmento, são enquadrados os sistemas operacionais (tais como Windows, Linux, Mac OS X, Solaris) e os milhares de programas que encontramos à disposição. De forma genérica, podemos dizer que o software é um programa de computador, afinal, a parte lógica funcional dentro de um ambiente tecnológico possui códigos de programação que a torna utilizável.
“Soft” significa “leve”, “suave”. Simples de lembrar.
Pegando o exemplo apresentando anteriormente, pense que sua televisão (no caso, o hardware) não possuiria nenhuma funcionalidade caso não existissem emissoras que oferecessem programações. Um programa de TV existe, é funcional, porém não conseguimos tocá-lo; conforme mencionei antes, é abstrato. Concluindo, as emissoras e seus respectivos programas consistem no software de sua televisão.


Software (Windows, Calculadora, Paint, WordPad)
Exemplos de Software

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário