21 de junho de 2012

Hospital de Sapé: Ministério Público suspende internações e cirurgias

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) e a Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) suspenderam as internações e cirurgias do Hospital Sá Andrade, o único hospital da cidade de Sapé, a 55 km de João Pessoa. A suspensão de parte dos serviços aconteceu após terem sido constatados os mesmo problemas após uma segunda fiscalização da Agevisa no hospital, feita na última terça-feira (19). Conforme o Ministério Público o hospital apresenta irregularidades graves nos procedimentos de esterilização de materiais e higiene. 

De acordo com a representante do MPPB em Sapé, Juliana Couto Ramos, parte das alas do hospita Sá Andrade, que é de responsabilidade municipal, foram interditadas porque a prefeitura, após ser notificada acerca das irregularidades em uma primeira inspeção da Agevisa há dois meses, não tomou providências para corrigir. “Dois meses se passaram e a Secretaria Municipal de Saúde não tomou nenhuma providência em relação às irregularidades constatadas no Hospital Municipal Sá Andrade. Um descaso por parte dos servidores”, completou. Com a interdição, apenas o atendimento ambulatorial continua funcionando, segundo o Ministério Público.

A prefeitura de Sapé informou, por meio de sua assessoria, que uma comissão formada pela Procuradoria Municipal e Secretarias de Saúde, Finanças e Administração vai trabalhar para corrigir os problemas encontrados pela Agevisa e MPPB. Ainda segundo a assessoria da prefeitura, durante os festejos juninos da cidade, que começam nesta quinta-feira (21), as pessoas que precisarem de cirurgias ou internações precisarão ser levadas por meio do Samu para o hospital mais próximo, que fica no município de Santa Rita, na região metropolitana da capital.

Além do Hospital Sá Andrade, três unidades de saúde básica de Sapé já tinham passado por uma inspenção no mês de abril pelo Agevisa. A fiscalização também encontrou irregularidades na unidades. “Na época, a Unidade de Saúde da Usina Santa Helena apresentava situação tão precária que chegou a ser interditada. Já solicitamos à Vigilância Sanitária uma nova inspeção nas unidades básicas de saúde para ver que providências foram tomadas, mas, aparentemente, nada foi feito”, lamentou.

A reinspeção feita pela Agevisa no Sá Andrade atendeu à solicitação do Ministério Público da Paraíba. A promotora de Justiça da Saúde, Juliana Couto Ramos, informou através de nota enviada à imprensa, que deve ajuizar nos próximos dias ação civil pública contra o município em razão das irregularidades no hospital e da "inércia para a solução dos problemas".

Mais de 50 mil pessoas vivem em Sapé e o município possui 41 estabelecimentos de saúde, públicos e privados, cadastrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (Cnes). As inspeções nas unidades básicas de saúde foram feitas por amostragem, seguindo procedimentos administrativos instaurados na Promotoria de Justiça de Sapé, resultados de reclamações feitas pela população.

Fonte: G1 Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário