2 de fevereiro de 2012

Congresso inaugura hoje o ano legislativo de 2012


Com a leitura de mensagem da presidente Dilma Rousseff, prevista para ser entregue às 16h ao Congresso, inaugura-se nesta quinta-feira (02), o ano Legislativo. Sob a presidência de José Sarney, senadores e deputados instalam os trabalhos da 2ª sessão legislativa ordinária da 54ª legislatura com efetivo militar disposto à frente do Parlamento, execução do Hino Nacional, salva de tiros de canhão, reverência à Bandeira e revista da tropa.

É a segunda mensagem que a presidente da República envia ao Congresso e a expectativa dos parlamentares é que aborde iniciativas para enfrentar os problemas mais prementes enfrentados pelo país. O texto será entregue pela chefe da Casa Civil, ministra Gleisi Hoffmann, e será lido pelo deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO), 1º secretário da Mesa do Congresso.

O segundo orador da solenidade será o ministro Ricardo Lewandowski, que representará o Supremo Tribunal Federal lendo a mensagem do Poder Judiciário. Em seguida, falará o presidente da Câmara, Marco Maia. O último a falar será o presidente do Congresso, José Sarney, que, na sequência, dará por encerrada a solenidade.

No ano passado, trazida pela própria chefe do Executivo, a mensagem presidencial abordava a tragédia que acabava de vitimar famílias soterradas por deslizamentos em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Na mensagem, Dilma prometeu um pacto para evitar novas tragédias e firmou o compromisso de lutar pela erradicação da miséria e por uma política de longo prazo para o reajuste do salário mínimo.

"A manutenção de regras estáveis, que permitam ao salário mínimo recuperar o seu poder de compra é um pacto deste governo com os trabalhadores", prometeu Dilma, na ocasião.
Na mesma mensagem, a presidente defendeu as reformas tributária e política, assuntos que podem voltar na mensagem deste ano e que são recorrentes no discurso parlamentar. Entre governo e oposição, não há parlamentar que não se preocupe com essas reformas e com a alta da inflação, o baixo crescimento do PIB e os problemas no sistema educacional.

A segunda mensagem do governo Dilma Rousseff chega também no auge de sua popularidade. As pesquisas indicam que 59% dos brasileiros consideram sua gestão ótima ou boa - um recorde de aprovação, à frente dos 50% registrados no primeiro ano do último governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário