17 de fevereiro de 2012

Blog Conexão Social - Os mitos sobre o próprio negócio



Hoje o blog conexão social trás para os leitores um artigo publicado por Bruno Mentges de Carvalho em seu site sobre os principais mitos existentes para as pessoas iniciarem sua carreira como empreendedoras. 


7 Mitos Sobre Ter Seu Próprio Negócio 

Já que há tantos mitos sobre ter seu próprio negócio, especialmente entre aqueles que são empregados há tempos, resolvi escrever sobre os 7 mitos sobre ter seu próprio negócio (ou ser autônomo, freelancer, trabalhar por conta própria, etc). 

1. Ter seu próprio negócio significa trabalhar muitas horas por dia. 

Muitas pessoas que decidem trabalhar por conta própria trabalham mais que pessoas com empregos formais. Algumas gostam tanto do que fazem que preferem dedicar mais tempo à atividade, outras montam seu negócio de forma que sua presença física seja necessária. De qualquer maneira, é tudo uma questão de escolha, já que é você quem decide como colocar as coisas funcionando. 

Mas não há nenhuma regra que diga que quem tem o próprio negócio deve trabalhar muito para ter o esperado retorno. Eu gosto de pensar que montar um negócio é criar um sistema. Seu sistema de negócios criado pode estipular quanto tempo você dedicará por dia à sua atividade, ou mesmo que nem necessite de sua presença. É como ter o ganso de ouro, onde ele coloca os ovos para você. 

Então, trabalhar incontáveis horas é, em grande parte, um sintoma do tipo de negócio que você monta como também de escolha pessoal. Se você não gosta de trabalhar longas horas, certamente você não deverá trabalhar longas horas. 

2. Ter seu próprio negócio é muito arriscado. 

Segurança é o resultado de controle, e ter seu negócio te dá muito mais controle sobre sua fonte de renda do que você teria como empregado normal. Quando você tem seu negócio, ninguém pode te demitir. 

Se você precisar fazer dinheiro rápido, será muito difícil conseguir como empregado. Mas como empresário e com o controle que tem sobre seu modelo de negócios, você pode rapidamente remanejar recursos e ter o objetivo esperado, que era fazer dinheiro rápido. 

Empregados assumem o maior risco de todos. Você aprende o quão arriscado é quando ouve as seguintes palavras – “Vai haver um corte de despesas na empresa e infelizmente estamos te demitido!”, enquanto os donos do negócio aproveitam os lucros de seu trabalho. 

3. O cliente tem sempre a razão. 

Se você tem seu próprio negócio, sinta-se tranqüilo em “demitir” um cliente que te causa desgosto. Há clientes rudes, que insultam e agridem, e simplesmente não vale a pena tê-los. 

A verdade é: Nem sempre o cliente tem razão. Uma boa pitada de bom senso sempre cai bem. 

Se você tem seu próprio negócio, não há necessidade de fazer negócio com pessoas que pensam que podem te tratar como lixo. Você não irá gostar de ter tais clientes, nem de quem ele te indicar. E além do mais, é mais divertido indicar ele para seus concorrentes! 

4. Pessoas que tem seu próprio negócio tem que fazer tudo sozinhas. 

A maioria das pessoas prega que se você iniciar seu próprio negócio você deverá fazer tudo. Se você não tiver se preparado o suficiente pode ser que no início e talvez durante um bom tempo você fará tudo sim. 

Porém, com um bom preparo, quantia certa, um plano de negócios (business plan) e bom senso você poderá delegar para as pessoas certas o trabalho que deve ser realizado pela sua empresa. 

Um exemplo é uma empresa de web-design. Digamos que você seja talentoso em programação, mas não tão bom em design. O ideal é montar o seu modelo de negócios contando que em seus projetos você terá que contratar um designer terceirizado, ou mesmo tentar bancar um designer como seu funcionário. Tudo é uma questão de escolha e modelo de negócios, e, claro, bom senso. Se tentasse fazer o site, o design provavelmente ficaria horrível, e perderia o cliente. 

Neste caso, pode-se pensar: “Mas se eu contratar alguém, vou ganhar menos, já que terei que pagar pelo trabalho dessa pessoa.”. Verdade, você terá que pagar o trabalho dessa pessoa, mas a longo prazo, é a melhor escolha pois ganhará seu cliente, que te indicará outros, e assim você vai se estabilizando. 

Com um bom planejamento, não, você não precisa fazer tudo. 

5. Você precisa de muito dinheiro para abrir seu próprio negócio. 

Isto depende muito do negócio. Você pode começar um negócio online por menos de R$ 300,00 ao ano. Registrar um domínio e pagar uma hospedagem é muito barato. 

Há até pessoas com empresas que vendem por sites de leilão e que não gastaram 1 centavo para começar a vender. Abrir uma empresa de prestação de serviços, no Rio de Janeiro (Brasil) custa em torno de R$ 1.500,00, e a única despesa fixa é o contador, que, no geral custa também em torno de R$ 200,00. Somente ao emitir uma nota fiscal é que você paga o imposto. 

Não estou sugerindo que qualquer pessoa possa iniciar um negócio por um preço baixo, mas também não é necessário muito dinheiro para inicia-lo. O ideal é que você não invista toda a poupança que fez em sua vida no seu primeiro negócio, mas sim, achar uma maneira inteligente de prover valor para seus clientes e investir nisso uma quantia que seja suficiente para iniciar de maneira modesta e planejada. 

Portanto, para abrir seu negócio, as melhores táticas são: a informação, o planejamento e a dedicação. Provavelmente você não precisará de tanto dinheiro como imagina para iniciar seu próprio negócio. 

6. Ter seu próprio negócio é “apostar todos seus ovos numa galinha só”. 

Pergunte-se isso: Quantas pessoas são necessárias para acabar com sua fonte de renda? Geralmente para empregados a resposta é: uma. Se seu chefe te demite, sua fonte de renda cessa imediatamente. Se houver motivo ou não é irrelevante, você perde toda a sua fonte de renda. Isto sim é “apostar todos seus ovos numa galinha só”. 

Ter seu próprio negócio te dá a possibilidade de diversificar e aumentar suas fontes de renda, reduzindo seu risco. Você tem o controle necessário para fazer isto acontecer. Gerar diferentes tipos de renda com centenas de clientes é muito mais seguro do que ter somente um salário. 

Acredito não precisar dizer mais nada sobre isso ! 

7. Ter seu próprio negócio é muito complicado. 

Ter seu próprio negócio pode parecer complicado, pois há muito o que aprender no início, como impostos, contabilidade, seguro, como construir seu plano de negócio, etc. Leva algum tempo até aprender o básico, mas a maioria das coisas não são complicadas. 

Não deixe a curva inicial de aprendizado te desmotivar. Você precisa aprender estas informações somente uma vez… e somente no seu primeiro negócio. Se você iniciar um segundo negócio mais tarde, você conseguirá colocar tudo funcionando rápido e fácil. 

Se fizer as coisas direito, a manutenção de seu negócio não necessitará ser um pesadelo. 


É importante ressaltar que, para sanar algumas duvidas ainda existentes em sua mente você poderá fazer um teste online no site criaação e marketing e descobrir se possui vocação para iniciar uma carreira como empresária (o). Ou ainda aperfeiçoar suas habilidades através de cursos online gratuitos ministrados pelo SEBRAE

Referencias 

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas: http://www.sebrae.com.br

Bruno Mentges de Carvalho – Desenvolvimento de software, gestão e meu cotidiano: http://www.brunocarvalho.com





Por Huston Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário