2 de fevereiro de 2012

Blog Conexão Social: O que é a Educação do Campo


Neste artigo apresento de forma sucinta um pouco do que é a educação do campo, que nos dias atuais ainda é bastante desconhecida e pouco praticada, mesmo nas escolas que deveriam adotar esta modalidade de ensino. Este material foi produzido junto com colegas estudantes do curso de pedagogia da UFPB com a orientação de professores, e apresentado no seminário de Movimentos Sociais.

A educação do campo é definida coletivamente pelos próprios sujeitos do campo. Que não se faz sem os sujeitos do campo ou para os sujeitos do campo, mas juntamente com eles. Pois, são eles os protagonistas da educação que se realiza no Campo. É uma educação que entende o campo como o lugar onde vivem os sujeitos do campo; como sinal de vida, de trabalho, de cultura e de relações sociais e que procura, portanto, expressar os interesses e as necessidades no desenvolvimento dos sujeitos que vivem, trabalham e são do campo.

A Educação do Campo se realiza em conjunto com os Movimentos sociais, das lutas e organizações do povo do campo. Na luta pela terra e por condições dignas de vida e de afirmação de sua identidade se contrapondo a uma educação que não leva em consideração os conhecimentos que os alunos trazem de suas experiências e de suas
famílias; a uma educação que desvaloriza a vida do campo, diminuindo a auto-estima dos alunos e descaracterizando suas identidades.

A educação do campo é uma educação emancipadora, incentiva os sujeitos do campo a pensar e agir por si próprios, refletir sobre os problemas da comunidade, assumindo sua condição de sujeitos da aprendizagem, do trabalho e da cultura, pois, emancipar significa romper com a tutela de outrem, significa ter a possibilidade de tomar suas próprias decisões, segundo seus interesses e necessidades.

Para atender as necessidades da educação do campo deverá ser contemplada uma metodologia interdisciplinar, trabalhando com os temas geradores, oportunizando um aprender através do fazer e da interação entre teoria e prática, como instrumentos para uma ação educativa mais eficaz. Essa proposta de educação tem como ponto de partida o respeito ao mundo do educando, ao mundo concreto e subjetivo, respeito a um tipo de saber que é construído no dia a dia dos grupos populares.

Nesse sentido quero finalizar destacando a luta dos movimentos sociais por uma educação do campo, a fim de romper com o caráter elitista da educação e proporcionar um cenário que vá de encontro com o desenvolvimento das comunidades locais, sem que essas se distanciem da sua cultura e valores historicamente e socialmente construídos ao longo dos tempos.

Por Ismael S. Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário