25 de janeiro de 2012

A imigração haitiana ao Brasil



Nos últimos dias temos visto na TV muitos haitianos chegando ao Brasil, fugindo das péssimas condições de vida de seu país natal, em busca de melhor qualidade de vida para suas famílias e, temos visto também, que o nosso país não se preparou para receber essas pessoas e os problemas que as cidades do Norte estão tendo com essa imigração irregular, é essa discussão que vamos fazer a partir de agora nesse artigo.
O primeiro fato que temos que saber é que há alguns anos essa imigração já vem ocorrendo e o governo brasileiro não se preparou para ela, às vezes, a impressão que temos é que o governo sempre age tardiamente, para amenizar um problema já consolidado.

A solução encontrada pelo governo foi primeiro legalizar a situação dos que já estão no Brasil e depois limitar a concessão de vistos para impedir uma entrada desenfreada de imigrantes no Brasil. Mas o problema é que, esses imigrantes passam por outros países antes de entrar no país irregularmente e se, esses países não ajudarem essas medidas não surtirão tanto efeito.

Leiam: Conselho disciplina concessão de vistos de permanência para haitianos
             Cerca de mil haitianos já deixaram o Acre em busca de oportunidades de emprego
             Processo sobre haitianos corre em segredo de justiça

O segundo fato é justamente a falta de estrutura das cidades que estão recebendo essas pessoas, cidades pequenas e sem muitas oportunidades de emprego, que estão tendo muita dificuldade com esse rápido aumento da população das cidades. Essas pessoas chegam ao nosso país numa situação complicada, precisam o mais rápido possível arrumar uma fonte de renda para enviar as suas famílias que, na maioria das vezes, continua no Haiti e acabam sendo obrigados a topar qualquer emprego oferecido.

A imigração haitiana ao Brasil - Atualização 12/09/2012

Em cidades onde os empregos são escassos, eles acabam sendo vistos pela população local, como vilãs, que roubaram os empregos do povo local, e esse é o medo que temos dessa situação, pessoas que não tem culpa de terem nascido num lugar tão pobre saem do seu país para melhorar de vida e são vistos com preconceito por causa dessas questões.

leia mais:
Governo libera ajuda para haitianos que estão no Acre e no Amazonas
Institutos federais oferecem formação para imigrantes haitianos
Após nova regra, Brasil só concede 30% da cota de vistos a haitianos

Esperamos que essas pessoas não acabem marginalizadas como, os latinos são marginalizados nos EUA, como alguns latinos, principalmente bolivianos, são marginalizados em São Paulo, como os nordestinos são marginalizados no Sul do nosso país, etc. Parece que acontece dessa forma, quando os imigrantes vem para gastar dinheiro as pessoas adoram, mas quando eles vêm em busca de ganhar dinheiro são vistos, em via de regra, com preconceito.

Haja vista o que foi feito nos EUA, facilitando a emissão de vistos para brasileiros, enquanto os brasileiros iam aos EUA em busca de emprego eram visitantes indesejados, agora que o país está em crise e o poder de compra do brasileiro aumentou, não só somos esperados como somos vistos como uma das esperanças de recuperação da economia americana.
Esperamos que essa situação melhore, tanto com o desenvolvimento do Haiti quanto com um melhor planejamento do governo brasileiro para enfrentar essa questão.

Rondynelle Silva

Leiam outros artigos meus:

10 comentários:

  1. Muito bom cara. Tem gente por ai que pensa que estudar sobre Haiti, Gambão, entre outros paises pouco falados e conhecidos é besteira, mas pelo contrario, é oque mais cai em vestibulares?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Mix Master, e o que você comentou está provado sendo esse o tema da redação do Enem desse ano.

      Excluir
  2. E CAAIU N ENEM D PROVA D HJ!

    ResponderExcluir
  3. Cara esse foi o tema da redação do enem, se eu tvesse visto isso antes ia tirar nota 1000

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, agradeço o elogio, mas, não é pra tanto, para te falar a verdade o outro texto que escrevi sobre esse tema ficou bem melhor. Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  4. eu escrevi exatamente isso na minha redação do enem , espero ter ido bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você está dizendo que escreveu algo muito parecido com o que escrevi, também espero que tenha se dado bem, depois você volta e diz como foi.
      Abraço

      Excluir
  5. A obrigação de nós brasileiros é estarmos informados,independente do tema que cai em vestibular ou não, hoje é lamentável chegar a conclusão que em meio a tanta tecnologia como : internet, jornais, tv... vermos tanta gente desinformada. O problema de imigração dos haitiano agora é nosso, o mal do Brasil é sempre esse, recebe de mãos abertas, sem antes medir, fazer um planejamento sócio-econômico,ver se realmente o País têm alguma estrutura, cá pra nós "não cuida nem dos seus" como cuidará dos outros. Importante, não cometermos o erro de generalizar achar que todos os haitianos não prestam, têm gente boa ai, e trabalhador....são gente como tantos brasileiros, vem em busca de uma vida melhor, que esperam um dia ver o pôr do sol.....e céus estrelados. Boa noite a todos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente com você, infelizmente, os jovens não estão usando as novas tecnologias para se informar, mesmo com a facilidade que temos para isso. Concordo também que o Brasil não cuida bem nem dos seus, mas, acho que a tendência é que a imigração ao Brasil aumente, pois, governo "vende" uma imagem de que tudo está dando certo por aqui. Vamos esperar e ver o que acontece.

      Excluir
  6. O Acre é um Estado que não tem estrutura para receber uma imigração ilegal de haitianos, e atualmente até de bangladeshianos. E tudo na pacata cidade de Basileia, a população e as autoridades locais estão desesperadas, sem saber o que fazer! Diante dessas circunstâncias o governo federal precisa agir, tomando as medidas cabíveis e eficazes como: estruturar melhor o local para receber esse refugiados de uma forma que não atrapalhe o cotidiano local, isto é, sem sobrecarregar os serviços públicos (educação, saúde, segurança e moradia). Ou então, já que o Brasil é o líder principal das FORÇAS DE PAZ DA ONU, estruturar sócio-economicamente aquele país, pois o Brasil até agora só se preocupou em levar para os haitianos "partidas de futebol amistosas" e isso não resolve os problemas do Haiti, algo que vai muito além disso como: comida, remédios, tratamento de água potável, saneamento básico e redes de esgotos, moradias dignas, educação de qualidade, etc. Infelizmente, o Brasil tem essa péssima mania de achar que os problemas se resolvem com samba e futebol e não é por aí não! A situação do Acre está cada vez mais séria, cada vez mais comprometedora!
    Talvez seria o caso do governo brasileiro realizar um censo sobre as condições precárias dos haitianos lá no Haiti, em seguida propor a eles uma pesquisa sobre o que eles têm a dizer sobre a administração e o que esperam do Brasil (principal líder das FORÇAS DE PAZ DA ONU), e finalmente dependendo do resultado final do censo e da pesquisa propor um plebiscito, isto é, se eles tiverem de pleno acordo, enfim, ajudar os haitianos por lá mesmo, ao invés de deixá-los abandonarem a sua terra natal e chegarem aqui no país clandestinamente e de forma desnutridos/subumanos.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário